02. Introdução às bem-aventuranças – a mensagem

Série - A busca da felicidade em Cristo

Publicado em 12/04/2022 às 10h27

1. TEMPO DE ORAR | 5 min
2. TEMPO DE CANTAR | 5 min
3. TEMPO DA PALAVRA | 30 min

 

3​Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus. 4​Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados. 5​Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra. 6​Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos. 7​Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. 8​Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus. 9​Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus. 10​Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. 11​Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. 12​Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós. 13​Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. 14​Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; 15​nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. 16​Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus. (Mateus 5:3-16)

Introdução | O mensageiro dispensa apresentações, afinal, Jesus, o filho de Deus, está falando sobre a felicidade de sua criação, mais do que isso, ele vem ser a própria mensagem viva. Contudo, há algumas particularidades sobre a mensagem que podem nos ajudar a compreendê-la melhor através do acróstico CARÁTER:

Completa | Jesus aborda o tema em toda sua plenitude. Na primeira bem-aventurança, por exemplo, o foco é a “humildade”. Ele não vai esgotar o assunto, esta é uma virtude que se revela em toda a Escritura. Todavia, Ele não deixou a receita incompleta. Todos os ingredientes para a felicidade estão aqui.

Abrangente | Quando organizamos as bem-aventuranças nas três esferas do relacionamento humano: com Deus, consigo e com o outro, é possível perceber Jesus nos tratando de forma absoluta. O criador, a criatura e a criação. A verdade sobre Deus, sobre si e sobre o seu semelhante. Um ser sendo tratado nas questões existenciais, morais e relacionais. Seus propósitos, desejos e atitudes. O que pensa, o que sente e que o faz. Uma felicidade sendo construída de dentro para fora, penetrando nas questões mais profundas da alma (Lc 8.11; Hb 4:12).

Realizável | Jesus nos ensinou estas verdades e deseja que as coloquemos em prática. Por isso devemos interpretá-las de maneira aplicável. Paulo diz: “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” (1Co 11:1). Tudo que necessitamos para realizá-la encontramos em Cristo (2Pe 1:3)! 

Admirável | Jesus não pronunciou as bem-aventuranças ao acaso. A ordem, a forma, o conteúdo tinham propósitos perfeitos e atemporais, eternos. Quando lemos as bem-aventuranças é possível perceber que existe uma sequência lógica de entendimento, uma estrutura de pensamento. Como degraus de uma escada, devemos pô-las em prática, uma após a outra. Não é possível "chorar", por exemplo, sem antes ser "humilde de espírito". Um caráter sendo construído a cada nova etapa. Uma levando à outra. Uma mensagem eterna (1Pe1:23, Sl 119:89).

Transformadora | Jesus não está disposto a falar o que desejamos ouvir, mas, o que precisamos ouvir. Seu foco não é na satisfação, mas na salvação. Um ser que precisa ser resgatado do pecado porque nasceu para a glória de Deus. Sua promessa não é a plenitude nesta vida, mas uma constante renúncia do prazer momentâneo pela recompensa vindoura. Jesus nos apresenta não apenas o Deus grande e misericordioso, mas também o Deus santo e justo, o Evangelho todo, não apenas o conveniente, mas toda a verdade, o tempo todo, a todos, sem exceção. Jesus deseja nos revelar quem é Deus, quem nós somos e qual a nossa missão, e isso pode inclusive a princípio nos trazer espanto, mas seu objetivo é nos libertar, nos curar, nos transformar. Não espere uma caminhada de elogios, de autoajuda, de prosperidade, ou algo que possa inflar o seu ego. Jesus não deseja satisfazer os caprichos humanos, mas, nos traz uma mensagem poderosa, fundamentada em arrependimento e fé, capaz de abrir nossa mente e coração para confiar Naquele que de fato nos fará felizes (Hb 4:12, Is 55:11).

Espiritual | Ninguém nasce com as virtudes contidas neste sermão. Devemos sempre entender como instruções de cunho espiritual, que são produto do agir do Espírito Santo na vida do cristão. Somente um crente verdadeiro pode viver estes preceitos. Trata-se de um novo Reino, um novo caráter, um novo propósito, uma nova vontade e uma nova forma de agir. Os apelos do Evangelho como um todo, em termos de caráter, são para pessoas nascidas de novo (Jo 3:6-7).

Reveladora | Sua reação as bem-aventuranças anunciam exatamente aquilo que você é. Se porventura você sentir que elas são difíceis, severas, e retratam um tipo de vida e um caráter que você não aprecia, então pode ser que você não seja cristão. Mas, se você se sente indigno e fraco, mas ainda assim quer ser conforme Jesus instruiu, se esse é seu desejo, é porque você deve ser filho de Deus e então, precisa pedir ao Seu Santo Espírito que lhe fortaleça e lhe conduza em santificação, sem a qual, ninguém verá a Deus (Mt 7:22-23).

4. TEMPO DE COMPARTILHAR E ORAR | Oremos para que esta mensagem possível, perfeita, profunda, perpétua, plena e poderosa possa penetrar em nossa mente e coração sendo “viva e eficaz” a ponto de mudar nossas vidas e nossos relacionamentos de forma prática, gerando o fruto do Espírito em nós (Gl 5:22-23). 
 

74 visualizações