14. Bem-aventurados os puros de coração

Série - A busca da felicidade em Cristo

Publicado em 22/04/2022 às 14h13

1. TEMPO DE ORAR | 5 min
2. TEMPO DE CANTAR | 5 min
3. TEMPO DA PALAVRA | 30 min

"Bem-aventurados os puros de coração..." (Mateus 5:8).

Introdução | O puro de coração nasce do “choro” daquele que tomou consciência do pecado e suas consequências. Os seus olhos foram abertos e ele pode perceber sua natureza, sua vontade corrompida. Ele está arrependido porque encheu o seu coração de coisas que para Deus não tem valor e agora ele deseja limpar seu coração de tudo que o afasta de Deus. O que nos afasta de Deus?

Coração, a verdade no íntimo | O puro de coração conheceu o Deus Santo e onisciente, aquele que é íntimo, que habita em nós e que nos deseja por inteiro (Is 57:15; Dt 6:5). Um Deus que deseja nos revelar a verdade no íntimo, a fim de nos libertar e transformar (Hb 4:12). Assim Jesus fez com os fariseus. Revelou que eles estavam obcecados pelo exterior e ignoravam o interior. Por fora, na aparência, pareciam sem defeito, mas por dentro, no coração, estavam repletos de ganância, hipocrisia e maldade (Mt 23:28; Lc 11:39). Jesus desejava libertá-los (Jo 8:32).

Um coração corrompido | É um erro achar que "o homem é produto do meio" e que para mudá-lo basta melhorar sua educação, sua condição social, enfim, seu ambiente (Rousseau). Biblicamente isto constitui uma grande mentira. Essa ideia negligencia o fato de que foi no paraíso, um “ambiente perfeito”, que o homem caiu em pecado. O fato é que o coração do homem é terrivelmente enganoso e é dele que procedem todas as maldades (Jr 17:9). Todos possuem dentro de si uma natureza pecadora, nascemos com uma tendência natural para o mal (Sl 51:5; Rm 3:23). E essa natureza é contra Deus, nunca poderá agradá-Lo porque está inclinada para o pecado (Rm 8:7-8).
 

Um coração dividido | Entretanto, quando aceitamos a Cristo como nosso Salvador, em nosso novo nascimento, recebemos o Espírito Santo em nosso coração. Agora, uma parte de nós, guiada pelo Espírito, quer conhecer, adorar e agradar a Deus; mas uma outra parte, escrava da carne, continua desejando as coisas do mundo. A velha e a nova natureza guerreando dentro de nós, tentando ganhar o domínio sobre o nosso coração, e enquanto vivermos, nossos desejos nunca ficarão livres dessa pressão (Gl 5:17; Rm 7:22-23). Com o nascimento do novo homem, o velho homem não morreu, ele ainda habita em nós, e muitas vezes ele revela quão fracos nós somos (Rm 7:24). Você sente essa pressão?

Um coração que busca santificação | Porém, quando conhecemos mais de Cristo e procuramos viver como ele viveu, pedindo ajuda ao Espírito Santo, nossa nova natureza é fortalecida, e o pecado já não nos domina, e assim podemos vencer os desejos de velha natureza (Rm 8:1-4; 1Jo 2:5-6). Esse é o processo de amadurecimento do cristão chamado santificação. Não é algo que nós mesmos sejamos capazes de fazer. A santificação é obra do Espírito Santo em nós. O nosso espírito ligado ao Espírito de Deus (Gl 5:25). É algo que Deus opera em nós de forma progressiva (Fp 1:6; Cl 3:10). É deixar a liderança do Espírito Santo agir em todos os aspectos da nossa vida. O apóstolo Paulo ao falar sobre a relação do cristão com o Espírito, em Romanos 8, explica que os cristãos andam segundo o Espírito (v.4), pensam nas coisas do Espírito (v.5), estão no Espírito (v.9), o Espírito habita neles (v.9). Pelo Espírito podem resistir aos desejos da velha natureza (v.13), eles são guiados pelo Espírito (v.14), o Espírito os faz lembrar que são filhos de Deus e não escravos (v.16), o Espírito os ajuda nas suas fraquezas e intercede por eles (v.26,27), enfim, o Espírito Santo de Deus age em todas as coisas ao nosso favor, se estivermos debaixo do propósito e da vontade dele (v.28). É o Espírito que está em ação no crente, gerando o caráter de Cristo.  

Eu quero ser puro, como Jesus | Ser limpo de coração significa ser semelhante a Jesus, sem mácula, puro e íntegro (1Pe 2:22). Significa que somos donos de um amor não dividido, fiel (Sl 86:11-12). Considerando Deus o nosso maior bem, amando-o de todo o nosso coração, de toda a nossa alma e todas as nossas forças (Dt 6:5). Ou seja, que vivemos para Sua glória em todos os aspectos da nossa vida. Que desejamos verdadeiramente conhecê-Lo, amá-Lo e servi-Lo. 

4. TEMPO DE COMPARTILHAR E ORAR | A única maneira de termos um coração puro, que não disfarça motivações, é que o Espírito Santo venha residir em nós, a fim de nos purificar. Ore pedindo o Espírito Santo em sua vida! Por que Deus lhe negaria? (Mt 7:7-8; Lc 11:11-13). Deus nos chamou para sermos santos, puros de coração (2Co 7:1; 1Ts 4:7). Isso realmente nos fará felizes (Sl 32:1-2). 

Esquema complementar:


 

54 visualizações